Também foram recebidas 286 notificações e denúncias no setor de acolhimento da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres. Investigações de violência contra a mulher são priorizadas, diz polícia
Kemmido/Freepik
Londrina, no norte do Paraná, registrou 243 casos de violência contra a mulher na rede de atendimento da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SMPM), em 2018. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (3) pela prefeitura.
Além disso, também foram recebidas 286 notificações e denúncias no setor de acolhimento da SMPM. De acordo com a gerente do Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CAM), Lucimar Rodrigues, como muitas vítimas de violência não procuram ajuda, é a partir de notificações e denúncias que a equipe tenta acessar essas mulheres e inseri-las no serviço especializado, oferecendo proteção e apoio para que a violência seja interrompida antes que se agrave.
Atendimento
Os atendimentos da Secretaria são realizados no CAM e na Casa Abrigo Canto de Dália. O CAM faz uma avaliação dos casos, para saber se há situação de grave ameaça ou risco de morte e, nestes casos, encaminha as vítimas para acolhimento.
Durante todo o ano, 128 pessoas que estavam em risco foram encaminhadas para a Casa Abrigo, sendo 59 mulheres e 69 crianças e adolescentes, filhos ou filhas dessas vítimas, que não tinham uma rede de apoio como familiares e amigos próximos.
Desde a implantação do serviço, em abril de 1993, 10.740 mulheres já receberam atendimento na rede municipal.
Acompanhamento
Depois que as mulheres vítimas de violência são inseridas nos serviços oferecidos pela SMPM, elas recebem acompanhamento de uma equipe multidisciplinar e atendimento social, psicológico e de orientação jurídica, de acordo com a especificidade de cada caso.
Em 2018, contando todos os tipos de serviços ofertados pela Secretaria, foram 3.507 atendimentos complementares. Serviço
O CAM fica na Rua Máximo Perez Garcia, nº 340, no Jardim Belo Horizonte, e o atendimento é feito de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h. Já o setor de acolhida, que realiza o primeiro atendimento, funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.
O telefone do Centro é o (43) 3378-0132, e o e-mail [email protected]
Botão do Pânico
Em dezembro, a SMPM recebeu recursos para a implantação do Dispositivo de Segurança Preventivo para mulheres vítimas de violência doméstica, conhecido como Botão do Pânico.
O dispositivo vai ser utilizado pela Patrulha Maria da Penha em casos de ameaça ou descumprimento de medidas protetivas de urgência por parte dos agressores.
Segundo a Secretaria, com o recebimento dos recursos, será feita uma licitação e treinamento dos profissionais envolvidos no atendimento, que deve começar em aproximadamente três meses.
Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.

Fonte: G1

Comentários Facebook
Conexão CorbéliaOeste e SudoesteTambém foram recebidas 286 notificações e denúncias no setor de acolhimento da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres. Investigações de violência contra a mulher são priorizadas, diz polícia Kemmido/Freepik Londrina, no norte do Paraná, registrou 243 casos de violência contra a mulher na rede de atendimento da Secretaria...Dicas, curiosidades, entretenimento, notícias e tudo sobre Corbélia e região