O plebiscito será realizado no dia 02/10/2016.

Fundado em 19 de junho de 1992, o Movimento  “O Sul é Meu País” vem anunciando deste  07/03/2015 quando ocorreu a Assembléia Geral na cidade de Lages SC, que fará uma consulta pública para medir o apoio dos moradores do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, referente à proposta de separação do restante do Brasil.

Um dos motivos para a separação seriam a não devolução da arrecadação proveniente de impostos pagos por habitantes do Sul, por parte da União, em benefício do povo e o resultado das eleições presidenciais, contrário ao desejo da maioria da população da região.

De acordo com Celso Deucher, presidente da regional de Brusque, o movimento têm metas de curto e longo prazo. Em primeiro lugar, o movimento pretende expandir a divulgação para outros municípios sulistas. A grande meta é buscar ações que possibilitem a realização de um plebiscito. “Este ano vamos começar a coleta de assinaturas”, conta.

Pesquisa

Em dezembro de 2014, uma pesquisa encomendada pelo Grupo de Estudos Sul Livre (Gesul) apontou que 73,32% da população das unidades federativas sulistas apoiam a ideia de separação, contra apenas 17,44% que não são favoráveis. O levantamento ouviu mais de 19 mil pessoas, em 48 municípios.

Com o resultado do plebiscito os separatistas pretendem procurar a UNPO (Unrepresented Nations and Peoples Organization) _ Organização das nações e povos não representados, em tradução livre. O que, segundo Deucher, seria o primeiro passo para o “reconhecimento” de uma “nação sulista”.

 

Filosofia política

Segundo o estatuto do movimento, este é supra-partidário, não podendo haver influência ou dependência de qualquer partido político em específico. A ideia é um separatismo independente de correntes políticas, desde que haja comprometimento com os valores democráticos.

Você pode conferir AQUI o estatuto do movimento.

Dados

Em uma eventual separação dos três estados do Sul, o país que emergiria seria relativamente rico para os padrões latino-americanos:

Modelo político: Confederação municipalista

Território: 576 mil km² (Maior que a França)

População: 29 milhões de habitantes

SC: 6,727 milhões

PR: 11,08 milhões

RS: 11,20 milhões

PIB: R$ 786,4 bilhões

SC: R$ 170 bilhões

PR: R$ 287,9 bilhões

RS: R$ 310,5 bilhões

IDH: 0,82 (similar ao do Chile)

Perguntas mais frequentes

1- Qual será o nome do país?

O nome do país será escolhido no momento oportuno. Primeiro é preciso que esse país exista, para depois escolhermos o nome em assembleia. Existem sugestões, por isso a escolha deverá ser feita por aclamação para que o melhor nome seja eleito. a prioridade é concentrar os esforços na causa pela busca da Independência.

2 – Separatismo não é inconstitucional ?

A princípio sim. A Cláusula Pétrea na Constituição Brasileira prevê a indivisibilidade do Brasil.
Porém há inúmeros precedentes que nos dão a certeza de conquistar a independência. Lembramos que em 1920 no mundo havia 63 países, hoje temos 194. A cada ano surgem, em média 2 países. Aqueles países também tinham leis de indivisibilidade do território, porém conseguiram a autonomia.
Um grupo, nação é mais importante que o território, e esse povo tem o direito de buscar a Autodeterminação.

3 – Como chegar a independência ?

O caminho para conquistar a independência é por meio pacífico, através de plebiscito (consulta popular). Para aqueles que insistem optar pelo caminho da força, não há espaço para eles no Movimento O Sul é o Meu País. A opção deve ser pacífica e somente pacífica. A maioria das secessões deu-se por meio pacífico. Para isso as mobilizações devem ocorrer em maior número de pessoas possível. Quando um governo percebe que a maioria quase absoluta reivindica Autonomia, ele não terá outra opção a não ser negociar. Se optar pela repressão terá que destruir todo o povo, o que não seria prudente. A opção pela força é desnecessária e imprudente, visto que, para recuperar um país do dano de uma repressão levará gerações.

4 – Por que vocês querem se separar, já que o mundo está se unindo?

O mundo é! Ele não está separado nem unido. Está sempre em movimento. O que ocorre é uma acomodação dos povos que vivem segundo seus costumes, sua cultura e isso precisa ser respeitado. O Homem não é apenas o seu corpo. O que o define são os valores, costumes, tradições, a cultura que ele traz consigo. Ele precisa do grupo com o qual se identifica e compartilha essa cultura. É a essência da sua existência. Conforme descrito na pergunta 2, a ideia de que os países estão se unindo é falsa. Pelo contrário, há um fenômeno ocorrendo no mundo. Existem mais de 300 movimentos separatistas, povos que buscam liberdade e uma vida melhor.

5 – O novo país será autossuficiente ?

Sim! Temos o que precisamos. Somos suficientes em energia. Dedicação ao trabalho e busca pelo conhecimento. Por esse motivo poderemos aumentar nosso produto industrializado. Há sempre um questionamento sobre a falta de energia (petróleo, etc.) porém vemos países como Japão, Suíça, Dinamarca, Suécia que são territórios acidentados, gelados, pequenos e sem petróleo. No entanto, o povo é rico. O tamanho, a idade dos países não é fundamental para o desenvolvimento de uma nação. Como exemplo temos o Egito com mais de 4000 anos, mas tem dificuldades econômicas e políticas permanentes. Nova Zelândia é um país jovem, rico e promissor. A Suíça é o cofre do mundo e sequer tem um poderoso exército.

6 – Como será a bandeira, Hino e afins?

Estes itens estão sendo criados. Temos uma bandeira (azul com três estrelas que representam as três províncias).

7 – Autonomia econômica já não basta?

Talvez bastasse, mas por quanto tempo? Como confiar em um governo que seguidamente muda as regras políticas e não cumpre acordos? O Brasil não deu certo. O Poder público não atinge o cidadão que reside nos sertões ou confins do território continental. Para aprimorar e atendê-lo precisaria mudar o sistema tributário e fortalecer os municípios, pois é neles que tudo acontece. A criança precisa de creche, o jovem precisa estudar e trabalhar. O agricultor precisa da garantia da safra e de segurança de investimentos, o empresário precisa de segurança, de estabilidade para poder investir e trabalhar. Um governo centralizador daria essas garantias? Separar ainda é a melhor saída.
8 – Sou Brasileiro e vivo no sul, ganharei cidadania ?
Sim, Você será um estrangeiro com cidadania do novo país. Há leis internacionais que garantem esses direitos. Ninguém será tratado como algoz, o procedimento é o mesmo dos países civilizados.
9 – Vocês são de esquerda ou direita?
A Nação Sulina é vocacionado para o Liberalismo, afinal lutamos pela independência e liberdade. Ao mesmo tempo repudiamos os extremismos. Ideologias assassinas são veemente repudiadas pelo Movimento O Sul é o Meu País.
10 – Por que não incluir São Paulo e outros estados nessa separação ?
São Paulo tem um Movimento próprio. É o Estado mais rico do país e tem características diferenciadas em relação ao Sul. Incluir São Paulo não é viável, até porque no futuro próximo ocorreria uma nova separação.
11 – O movimento é racista?
Quem tece comentários reforça tais estereótipos e situa-se no rol da ignorância. Saibamos que racismo é um termo erroneamente usado quando aplicado ao “homo sapiens”. Só existe uma raça – a raça humana. A cor da pele usada como referência para dividir pessoas em pseudo “raças” é uma aberração. Pessoas de pele clara que por ventura vivessem no hemisfério (linha do Equador), depois de algumas centenas de anos teriam a pele escura. Da Mesma forma pessoas de pele escura se morassem próximo aos pólos teriam pele mais clara. É uma questão geográfica e a cor da pele nada tem a ver com raça. Os estereótipos contra o povo do sul apareceram nos anos 30, às vésperas da Segunda Guerra Mundial, quando disseminou-se pelo Brasil o perigo alemão, visto que, no sul residiam os imigrantes alemães. Para aprofundar mais o tal estereótipo, no início dos anos 90 uma importante emissora de TV editou uma reportagem contra um movimento – O Pampa – RS, cujo organizador tinha simpatia por tal ideologia. Aquela emissora simplesmente colocou outros Movimentos no mesmo rol e fez com que reforçasse ainda mais o preconceito contra o povo do sul. Os demais movimentos que tinham intenções para um debate sobre questões políticas de interesse do Sul e que não comungavam com ideologias extremistas, foram também muito prejudicadas.
12 – Qual será a forma de governo?
Muito provável que será um sistema Parlamentarista. Será dada ênfase para a administração nos municípios. O sistema poderá ser parecido com o da Suíça, ou Suécia. É no município onde tudo acontece, crianças precisam de creches, jovens precisam estudar e trabalhar. O povo precisa de saúde. O agricultor precisa de garantias de safras e o empresário de incentivo e segurança para investir na produção. O município é a “célula mater” de um país.
Confira alguns vídeos do Presidente do movimento, Senhor. Celso Deucher.

 

Você é a favor da separação do sul do restante do país ?

  • SIM (89%, 424 Votes)
  • NÃO (8%, 37 Votes)
  • INDECISO (3%, 16 Votes)

Total Voters: 477

Carregando ... Carregando ...

 

Fonte: Floripa News / Wikpedia / Facebook / Meu Sul

Viu algum erro? quer adicionar uma informação? Colabore com o autor. Clique aqui e nos ajude a melhorar a matéria!

Comentários Facebook
https://i1.wp.com/noticias.conexaocorbelia.com/cnx-crbx/uploads/2015/05/bandeira-do-sul.png?fit=1024%2C621https://i1.wp.com/noticias.conexaocorbelia.com/cnx-crbx/uploads/2015/05/bandeira-do-sul.png?resize=150%2C150Conexão CorbéliaSem CategoriaO plebiscito será realizado no dia 02/10/2016. Fundado em 19 de junho de 1992, o Movimento  “O Sul é Meu País” vem anunciando deste  07/03/2015 quando ocorreu a Assembléia Geral na cidade de Lages SC, que fará uma consulta pública para medir o apoio dos moradores do Paraná, Santa Catarina e Rio...Dicas, curiosidades, entretenimento, notícias e tudo sobre Corbélia e região