Pacientes que estão internados no Hospital Pequeno Príncipe se emocionaram com as cartinhas, que serão respondidas e enviadas novamente, pelo Correio, aos estudantes. Cecília, de sete anos, está internada há 4 dias no hospital e ficou emocionada com as cartinhas que recebeu Camila Hampf Mendes
Um pequeno gesto dos alunos do 5º ano da Escola Nivaldo Braga, no bairro Boqueirão, em Curitiba, garantiu o sorriso de dezenas de crianças do Hospital Pequeno Príncipe (HPP). Durante uma aula de Língua Portuguesa com o tema “as diferentes formas de correspondência”, os estudantes tiveram a ideia de escrever e enviar cartas aos pacientes. Eles só não imaginavam, que em tempos em que a tecnologia está dominando a comunicação, um simples papel com algumas palavras de carinho poderia fazer tão bem às crianças. “Com certeza, além de ser um estímulo à educação, porque aqui eles também estudam, é um grande incentivo pra manter a criança ativa, interessada e com a mente para além do internamento”, afirmou o coordenador do setor de cultura e educação do HPP, Cláudio Teixeira. Crianças se divertiram ao ler e responder as cartas Camila Hampf Mendes
Silmara da Silva Padilha é mãe da Cecília, de sete anos, que foi uma das crianças a receber o carinho dos estudantes. “Nós levamos ela pra uma consulta, mas ela precisou ficar internada. Já fazem quatro dias que ela está no hospital. A minha filha ficou encantada com a cartinha. E eu, como mãe, confortei o meu coração em ver que a minha filha está conseguindo sorrir, mesmo sem ter previsão pra sair do hospital”, disse Silmara. A criança está fazendo um tratamento para combater uma infecção atrás da orelha.
O João Carlos Luciano, de nove anos, está internado no Hospital Pequeno Príncipe há um mês. Ele tem um problema cardíaco e fez a primeira cirurgia aos 26 dias de vida. Já passou por 3 cirurgias no coração e quatro procedimentos de cateterismo. O João sempre participa das atividades culturais do hospital, mas nunca tinha recebido uma carta. “A sensação de conhecer alguém por carta foi muito legal. Eu já respondi com um textão e fiquei bem animado com isso”, disse o menino, que normalmente gosta se comunicar através da internet. João Carlos também adorou receber a cartinha. Ele está internado no HPP há 1 mês Camila Hampf Mendes A pedagoga da Escola Nivaldo Braga Rozane Zaionz explicou que a ação também fez um bem enorme para os estudantes. “Eles conseguiram perceber que a linguagem e a escrita tem uma função social. Ao perceber que a escrita tem um significado lá na frente pra quem está recebendo, eles acabam tendo mais interesse textual, com certeza”, explicou Rozane. A ação durante a aula de Língua Portuguesa, segundo ela, foi feita com base no livro O Carteiro Chegou, de Allan Ahlberg. “Os estudantes abraçaram a causa e alguns até se emocionaram porque sabem ou tentam imaginar o quanto é difícil estar em um hospital, principalmente pra uma criança”, ressaltou a pedagoga. Agora, conforme o hospital, todas as cartinhas serão respondidas e enviadas pelo Correio aos estudantes da escola. Veja mais notícias da região no G1 Paraná.

Fonte: G1

Comentários Facebook
https://i2.wp.com/noticias.conexaocorbelia.com/cnx-crbx/uploads/2019/06/alunos-escrevem-cartas-durante-aula-em-escola-e-conquistam-sorrisos-ao-enviar-para-criancas-de-hospital-em-curitiba.jpg?fit=1024%2C682https://i2.wp.com/noticias.conexaocorbelia.com/cnx-crbx/uploads/2019/06/alunos-escrevem-cartas-durante-aula-em-escola-e-conquistam-sorrisos-ao-enviar-para-criancas-de-hospital-em-curitiba.jpg?resize=150%2C150Conexão CorbéliaOeste e SudoestePacientes que estão internados no Hospital Pequeno Príncipe se emocionaram com as cartinhas, que serão respondidas e enviadas novamente, pelo Correio, aos estudantes. Cecília, de sete anos, está internada há 4 dias no hospital e ficou emocionada com as cartinhas que recebeu Camila Hampf Mendes Um pequeno gesto...Dicas, curiosidades, entretenimento, notícias e tudo sobre Corbélia e região